Assecor

Novas contratações sofrem perda de R$ 3,5 bilhões

Também não há previsão legal para reajustes de salários dos funcionários públicos, a não ser aqueles já acordados previamente

O governo anunciou hoje (28) corte de R$ 3,5 bilhões na previsão de novas contratações este ano – estimada inicialmente em R$ 5 bilhões. Segundo a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, o corte para novas contratações não precisa do detalhamento da auditoria externa anunciada para folha de pagamentos. “Estavam previstos R$ 5 bilhões para novas contratações. Estamos dizendo que R$ 3,5 bilhões não serão realizados como gastos novos”, afirmou.

Para o ministro da Fazenda, Guido Mantega, o reajuste é necessário para contabilidade maior dos gastos. “Em relação a pessoal, é o segundo maior gasto que nós temos. Assim como revisamos receitas, a mesma coisa estamos fazendo para grandes despesas. Você faz o ajuste, suspende novas contratações e firma um número. Uma modificação do gasto de pessoal, ajuste firme tem número mais preciso”, completou.

O governo também anunciou redução de 25% nas diárias e passagens nas áreas de fiscalização e poder de política e 50% nos demais casos. As autorizações serão centralizadas nos ministros, para secretários executivos, secretários nacionais e presidentes de autarquias.

Segundo a ministra, estão suspensas novas contratações para aluguel, reforma de imóveis, máquinas e equipamentos.

Leia a nota sobre a Reprogramação Orçamentária para 2011.

 

 Fonte: Agência Brasil

Daniel Lima, Kelly Oliveira e Luciene Cruz. Edição: Lílian Beraldo

Foto: Wilson Dias/ABr

 

Coletiva de imprensa promovida no dia 28 de fevereiro sobre a Reprogramação Orçamentária de 2011.

Parte 1


 

Parte 2

Comentários por Disqus